29 de abr de 2011

Poesia delirante


As vezes me arrisco em tentar trazer a psicodélia aos poemas, gosto também de formar parcerias para enriquecer as idéias, e foi numa dessas que saiu esse verso que deixo pra vocês.



Entrando

Sobre as portas de entrada desse mundo
que talvez funcionam como saída.
A fuga daquele lado que tem te perturbado,
fuga da rotina e dos valores tradicionais.
Se atravessar as portas, te trazer algum alivio.
Abram-se as portas então!

Pois mesmo que você não queira passar por elas,
novas visões passarão por você.
E se você fechá-las
correrá o risco de ficar louco como eles.

Seja são
Abrindo as portas e materializando seus sonhos.
Derrubando os muros e quebrando cadeados.
Ignore as entradas que eles lhe oferecem.
Podemos escolher por qual passar!


Explorando, traçando uma rota de fuga
Buscando a Viagem, não estamos somente de passagem
É preciso marcar, é precisamos deixar pelo menos poesia.





26 de abr de 2011

O ser psicodélico: Grace Slick






Grace Slick nasceu Evanston, região de Chicago, filha de Ivan W. Wing e sua esposa Virginia Barnett. Ela estudou em um colégio somente para garotas em Palo Alto, Califórnia, próxima a São Francisco, e após graduação estudou em Nova Iorque entre 1956 e 1958 e na Universidade de Miami entre 1957 e 1959. antes de entrar no mundo da música, exerceu a atividade de modelo por um curto período no início da década de 1960.

Ela manteve amizade com Janis Joplin no início de sua carreira musical, durando até o falecimento de Joplin por overdose em 4 de outubro de 1970. Ela também teve um relacionamento amoroso com Jim Morrison.

Durante sua carreira, foi integrante de diversas bandas estado-unidenses de rock, como The Great Society,Jefferson Airplane e as encarnações posteriores do Airplane Jefferson Starship e Starship. Tanto a The Great Society quanto o Jefferson Airplane eram de São Francisco, e a transição entre uma banda e outra ocorreu após a saída de Signe Toly Anderson do Airplane. Canções notáveis que ela gravou nessa época incluem "White Rabbit", "Somebody to Love", "We Built This City", "Lather" e "Nothing's Gonna Stop Us Now". As canções "Somebody to Love" e "White Rabbit" aparecem na lista das 500 melhores canções de todos os tempos promovida pela revistaRolling Stone. Em contrapartida, em novembro de 2007, a canção "We Built this City" foi escolhida como a pior de todos os tempos pela revista de rock americana Blender. Grace lançou também alguns álbuns solo, incluindo Manhole, Dreams, Software e Welcome to the Wrecking Ball.

Slick e Tricia Nixon, filha do ex-presidente dos Estados Unidos da América Richard Nixon eram alunas do mesmo colégio. Por esse contato, junto com os outros alunos foi convidada para uma festa na Casa Branca em 1969. Ela convidou o ativista político Abbie Hoffman para acompanhá-la, e planejou colocar LSD no chá do presidente Nixon. Entretanto, o plano falhou após ela ter sido proibida até mesmo de entrar na Casa Branca (Slick et al 1998, pp 189-194).

O problema de alcoolismo de Slick tornou-se um problema para o Jefferson Starship, o que levou a duas noites desastrosas em concertos na Alemanha em 1978. Na primeira noite os fãs se revoltaram por Slick não ter conseguido se apresentar. Na noite seguinte, completamente embriagada, Slick chocou a audiência profanando e fazendo referências sexuais na maioria de suas canções. Ela ainda lembrou o público que seu país havia perdido a Segunda Guerra Mundial, perguntando repetidamente "Quem ganhou a guerra?", responsabilizando todos os alemães pelas atrocidades da guerra. Ela deixou a banda no dia seguinte, comentando publicamente seu problema com o álcool e com o uso de LSD.

Após participação no Starship, deixou a banda em 1988 ao 48 anos. Seguido de uma breve reunião do Jefferson Airplane no ano seguinte, ela aposentou-se da carreira musical, dedicando-se à pintura. Entretanto, ela participou em "Knock Me Out", uma faixa do álbum In Flight de Linda Perry lançado em 1996, e que apareceu na trilha sonora do filme The Crow: City of Angels.

Grace lançou uma autobiografia em 1998, Grace Slick: Somebody to Love? A Rock and Roll Memoir. Em 2006, a cantora sofreu diverticulite, e após uma cirurgia inicial teve um relapso, o que exigiu nova cirurgia e uma traqueostomia. Ela permaneceu em coma induzido por dois meses e teve que aprender a andar novamente depois.*


*Texto extraído de wikipédia


19 de abr de 2011

INTRODUÇÃO PARTE II: Arte Psicodélica


Saudações seres psiconauticos! Hoje vós trago a parte II dos fundamentos a respeito da psicodélia, nessa segunda parte o tema abordado será a arte psicodélica.

Mas o que é arte psicodélica? Pois bem segundo definições pré-estabelecidas, arte psicodélica vem a ser qualquer tipo de arte visual inspirada em experiências psicodélicas induzidas ocasionalmente por substancias como LSD, mescalina e a psilocibina. Bastante subjetivo não?!

O termo psicodélico tem como definição também “a manifestação da mente” ou seja ativar lados adormecidos do cérebro e fazer com que trabalhem podendo alcançar as vezes aumento da percepção e ate sinestesia. Também é valido lembrar que todo esforço artístico feito com o foco de aprofundar na psyche ou psique pode ser considerado como arte psicodélica.

A origem da arte psicodélica data por volta dos anos 50, mas no ano de 1963 ela realmente é retratada por muitos artistas como Pablo Amaringo, Roger Dean, Victor Moscoso e entre outros .

A arte psicodélica vem a ser parecida com a arte surrealista, o que difere é que seus artistas se propõe ao uso das substancias psicoativas para serem induzidos aos sonhos e retratá-los em plano.

Abraçada a contracultura dos anos 60 a arte psicodélica veio também como algo chamativo. Chamativo no sentido de ser algo diferente do normal e ligado ao lado espiritual e humanista. Às vezes retratada de formas suaves, às vezes retratada de formas abomináveis, o fator mente é crucial na inspiração do artista. Mas uma coisa não faltava à arte as cores extremamente florescentes, formas circulares e o mais importante bastante imaginação.

Para finalizar meus caros deixo a vocês os aspectos característicos dessa maravilhosa arte. São eles: Alto brilho e contraste. Estilização de detalhe, chamado também de estilo horror vacui, espirais e círculos concêntricos, calendoscopia, fractais e tipografia inovadora, letras a mão incluindo deformação e transposição dos espaços positivos e negativos.

15 de abr de 2011

Inspiração

Salve pessoal, o feriado esta aí batendo a porta, vamos aproveitar o tempo livre pra descansar da rotina, dedicar à atividades prazerosas, e passar com as pessoas que nos fazem bem. Vejo vocês na semana que vem. Bom feriado a todos! Antes de partir deixo pra vocês mais um verso de nossa amiga Grace Barreto.

Paz e Luz




Inspiração


Pensamentos atômicos e ultra-sônicos

sinapses lisérgicas movidas a dietilamida

loucura medida em microgramas.

Idéias sólidas e consistentes

o inimaginável nunca foi tão viável.

Neurônios se relacionam numa orgia de grandes proporções

conceitos? Idéias? Pensamentos?

Tudo isso não passa de um orgasmo cósmico.


Grace Barreto

DMT- molecule of spirit

For me it´s a big know. The man can fly standing here

Make to do the choise .

Chousen and my head
Get, Yet, me...

Yet, Me....

Finger of God touched me...

http://www.radio.uol.com.br/#/volume/otto/sem-gravidade/17999?action=search
Artist: Otto.
Dedo de Deus
(traduction)

Finger of God touched me
Faith
And the Beauty of Women
It touched me

The light that illuminates the forest
Leads to u'A tribe party
Reluz the beautiful union
Oh my will
You transmutation

The light that illuminates the forest
Leads to u'A tribe party
Glitters our union
Oh my will
You transmutation

13 de abr de 2011

Vitrola: Laranja Freak

Sem essa de que rock psicodélico brasileiro é só com bandas antigas, Laranja Freak, banda Gaúcha que representa bem a psicodélia em suas músicas, nem é tão velha assim. Conheci a banda em 2009 pelo álbum “Entre as moléculas”, de inicio o som me pareceu meio estranho, mas com tempo fui tomando gosto pelas letras da banda, que a propósito são bem divertidas.

Laranja Freak é uma banda brasileira de música psicodélica formada em Porto Alegre. Seu som é uma mistura da Jovem Guarda, psicodelia e rock, tendo criado o estilo denominado Música Psicodélica Frenética. A banda realizou várias apresentações dentro e fora do Rio Grande do Sul, participando em festivais como Bananada (Goiás),Senhor F Festival (Santa Catarina e Rio Grande do Sul), 25 Anos de Baratos Afins (São Paulo), Cabron Festival(Santa Catarina), Super Noites Senhor F (Distrito Federal), Gig Rock Porto Alegre (Rio Grande do Sul). É uma referência no rock gaúcho com seu estilo psicodélico.*

*(Texto extraído de http://pt.wikipedia.org/wiki/Laranja_Freak)



Discografia:

Música Psicodélica Frenética (EP, independente, 2001)






12 de abr de 2011

NEWS

Good morning my friends.
Now Psiconautas will have some posts in english!
We have some visitors from other country like United States of America, South Korea and Countrys of the Midle East. Because of this, now we decided to post some english content. It's dificult to us do that but we will try to do with pleasure and good sense.

BY THE WAY
to start with the right foot stay with this youtube link: Laranja Freak! A great brazilian band from Porto Alegre.

(Name of the song: Albert Hofmann)



Their sound is awesome!
Judge by your own psicodelic eyes!
bye bye! And keep conected with us!

INTRODUÇÃO PARTE I Conceito Intuitivo: O que é Psicodélia?

Muito boa tarde caros leitores,
venho hoje por meio deste post informar-lhes a cerca do conceito intuitivo de o que é psicodélia. Sim conceito intuitivo visto que a psicodélia em si é unica e ao mesmo tempo possui várias formas. De um modo geral de minha parte NÓS somos a psicodélia, sempre estivemos com ela, o que difere o nosso gosto pelo seu sabor e como iremos conseguir este alimento que é o diferencial.
Ou seja sempre devemos estar dispostos a experimentar uma refeição diferente para julgarmos se esta é boa ou não.
Pois bem sem mais delongas lhes deixo vocês com o conceito intuitivo de o que é psicodélia, afinal o Psiconautas também é informação.

segue abaixo o conceito em português retirado do veiculo informativo wikipedia.org

Psicodelia (no Brasil) ou psicadelia (em Portugal) é uma manifestação da mente que produz efeitos profundos sobre a experiência consciente. O termo "psicodelia" origina-se da composição das palavras gregas psiké (ψυχή - alma) e delos (δήλος - manifestação). A experiência psicodélica é caracterizada pela percepção de aspectos da mente anteriormente desconhecidos, inusitados ou pela exuberância criativa livre de obstáculos.

Experiência psicodélica ou estado psicodélico é um conjunto de experiências estimuladas pela privação sensorial, bem como por efeito no sistema nervoso de substancias psicodélicas que do ponto de vista jurídico podem ser consideradas lícitas como muitos dos psicotrópicos ou ilícitas. Essas experiências incluem uma produção visionária semelhante à alucinações, mudanças de percepção, sinestesia, estados alterados de consciência semelhantes ao sonho, psicose e êxtase religioso.

9 de abr de 2011

Pingo de sol

Bom, hoje deixo pra vocês um poema de uma amiga.



Pingo de sol

Aves invadiram o céu

apagaram o sol, e trouxeram a noite

noite infinita? quem me dera.

Durante a noite as pessoas queridas se repousam em suas camas

na segurança do lar e do sono,

E eu me pego aqui sozinha comigo

numa profunda introspecção.



Em minhas mãos trago um cigarro

dele não caem cinzas, mas sim

decolam azuis, verdes, vermelhos e amarelos

com duendes,caramelos, musicas e cogumelos.

Um pingo de sol caiu na grama

não era como um pingo de chuva

era diferente, era mais, era mágico

assim como as aves.

Grace Barreto

8 de abr de 2011

Vitrola: Ave sangria

É difícil falar assim. Essa banda foi homenageaga pelos nordestinos por pouco tempo na década de setenta, fez um show que entrou para a história do rock nordestino e brasileiro. O mundo ta pra conhecer algo parecido, os anos se passaram e dois mil e doze ja chegou. é uma honrra postar esse disco do Ave Sangria para que baixam a vontade. O segredo de sete anos, passados por gerações de Alquimistas, loucos e sonhadores.
 Bom, esse disco foi o que eles gravaram em estúdio, e pela falta de dinheiro não ficou tão bom assim, mas ainda é digno com uma ganja!
http://www.mediafire.com/?2nw0dwdm2wj
01. Dois Navegantes
02. Lá Fora
03. Três Margaridas
04. O Pirata
05. Momento na Praça
06. Cidade Grande
07. Seu Waldir
08. Hei! Man
09. Por Que?
10. Corpo em Chamas
11. Geórgia, a Carniceira
12. Sob o Sol de Satã

Obra prima da musica brasileira. Com a participação de Naná Vasconcelos então.
Foi o show canto de cisne do grupo. Eles tiveram que parar logo após por falta de grana. Uma pena, tomara que venham novas aves sangrias para encerrar o que começou a anos atrás entre os sertões, desbravando-o descalço.
http://www.mediafire.com/?nnglzwyj5jz

01. Grande Lua
02. Janeiro em Caruaru
03. Vento Vem (Boi Ruache)
04. Dia-a-dia
05. Geórgia, a Carniceira
06. Sob o Sol de Satã
07. Instrumental
08. Por Que
09. Hey Man
10. O Pirata
11. Lá Fora


Salvar agora

7 de abr de 2011

Vitrola: Catapilla

Vitrola: Vai ser o mural onde estaremos indicando bandas que fizeram historia no movimento psicodélico, esperamos que gostem e aproveitem essas psicodélicias.



“Catapilla é o som fonético da palavra Caterpillar, lagarta em português, aquele inseto que arruinou a maçã na capa do primeiro disco do grupo e que se regala devorando uma suculenta folha na capa do segundo.
A banda mais ou menos se definia como uma lagarta a destruir e apodrecer a perfeição utópica da popsicodelia inglesa perdida em Strawberry fields”. (Comunidade "Catapilla - Changes" no orkut).

Assim como aquele leitor que descobri o livro de sua vida em um pequeno sebo no centro de uma grande cidade, aconteceu comigo ao descobrir esse som, em uma situação digna de ser chamada de mágica, fui convidado a conhecer o trabalho dessa fantástica banda, convite que fora inicialmente recusado, mas que graças a Luz divina tive tempo de voltar e aceita-lo. E é maravilhado pela experiência proporcionada pelo trabalho da lagarta que venho aqui divulgá-lo.
Pra quem gosta de um som bem experimental, rock´roll com uma pitada de jazz e muita criatividade, o prato esta servido, aqui estão os dois únicos cd´s lançados pelo Catapilla.




Naked Death 15:36
Tumbleweed 3:58
Promisses 5:43
Embryonic Fusion 24:09






Reflections 12:03
Charing Cross 06:40
Thank Christ For George 12:02
If Could Only Happen To Me 06:37


Me perdi no mar da consciencia...

Fui salvo por uma tempestade me salvando
uma ponta grande e uma sobremesa da roupa
fomos nos quatro em busca do mar a do know com pouca roupa.
A do know com pouca roupa

 A do know com pouca roupa.

 FOmos feitos um pro outro, meu nome é abstrato assim me apresento.

6 de abr de 2011

Saudações



Esse não é para ouvidos cegos.

Bônus Post


Pois bem senhoras e senhores as novidades não acabam por aqui a partir de agora o Psiconautas trabalhará com o quadro denominado: O ser psicodélico, onde escolheremos um personagem desde mundo real tão irreal e desigual, famoso ou não para falarmos um pouco dele e citar algumas contribuições com o movimento psicodélico, afinal não estamos e nunca estivemos neste mundo sozinhos.
E por empolgação ou não, por que não começar com nada mais nada menos do que ele Syd Barret (Pink Floyd).

Nascido aos 6 de janeiro de 1946 em Cambridge, Inglaterra. Roger keith Barret foi um dos membros fundadores do grupo de rock psicodélico (1965-1971) / Progressivo 1973-atualmente) Pink Floyd.
O que algumas pessoas não sabem é que a banda Pink Floyd tivera outros nomes em seu curriculo antes de decidirem pelo atual. Como Sigma 6 e Tea Set.
O responsável pelo nome atual é ninguem menos que Barret onde ele inspirou-se em dois músicos do gênero blues do qual admirava, são eles Pink Anderson e Floyd Concil.
Originalmente era o guitarrista, vocalista e principal compositor da banda, sendo muito influente e inovador (foi um dos primeiros a explorar a capacidade de distorção e da recém desenvolvida maquina de eco nos anos 60, anos do auge psicodélico).
Apesar de tudo Syd teve uma curta carreira no Floyd pois os usos constantes de LSD o levaram a um patamar de comportamento um tanto quanto "estranho" e os outros membros da banda não conseguiram o acompanhar ou ele acompanhar os demais, Syd então fora deixado de lado.
Pós Floyd ele voltou-se para Cambridge sua cidade natal onde por la viveu uma vida "pacata" pintando como hobbie e ouvindo uma boa musica dos quais os Rooling Stones estavam entre seus sons favoritos.
Syd Faleceu em 7 de julho de 2006 aos 60 anos na sua terra natal devido a problemas que especulam-se ser diabetes.

a seguir algumas curiosidades tiradas do link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Syd_Barrett

"Numa ocasião famosa, no programa de televisão de Pat Boone, recusou-se a fingir que actuava, ficando parado, braços caídos ao longo do corpo e olhando fixamente para a câmara. Noutro incidente bem conhecido, diz-se que antes de entrar em palco Syd teria esmagado uma caixa inteira de tranquilizantes Mandrax, misturando-os com uma grande quantidade creme para o cabelo Brylcreem, depois pôs a mistura sobre a cabeça e colocou-se por debaixo dos projectores de palco; a mistura viscosa derreteu e começou a escorrer pela sua cara dando a aparência desta se estar a derreter. Outra história diz que Syd apareceu no estúdio apresentando aos colegas uma música nova chamada Have You Got It Yeat. Conforme ele ia ensinando a canção ao grupo tornou-se óbvio que ele mudava os acordes cada vez que a tocava, tornando impossível a sua aprendizagem"


"O álbum de 1975 "Wish you were heare" foi um tributo a Syd Barrett (que diz-se ter aparecido de surpresa numa sessão de gravação, afirmando estar pronto para trabalhar outra vez)"


The Dyamond Eye


Salve seres psiconauticos, hoje deixo à vocês a arte de um co-fundador do Psiconautas que não jás mais entre nós pois pulastes ao mar... Lucca.
fiquem com a pintura do que eu mesmo denominei como The dyamond Eye!
Lucca o Psiconautas agradece a sua ajuda e colaboração mesmo que por pouco tempo e tenha certeza de que se pulastes ao mar você não irá se afogar pois sabes nadar.

E para os interessados que quiserem tambem conhecer mais sobre a arte de Lucca fica ai um link bacana: http://www.flickr.com/photos/calutradu

BEM É ISSO AI PSICONAUTAS CONTINUEMOS A NAVEGAR, POIS AGORA QUE COMEÇOU NÃO PODEMOS PARAR! A TODO VAPOR HOMENS!



4 de abr de 2011

Midnight Movie - El Topo (1970)



El Topo
se inicia no deserto, onde o protagonista ensina a uma criança totalmente despida, que esta deve enterrar seus pertences como se num ato simbólico, fosse sacrificar o passado para viver um futuro diferente. Em seguida, após se adentrarem em uma cidade onde todos estão mortos, El Topo, o cavaleiro negro e a criança iniciam uma saga onde buscam vingar os habitantes daquele lugar. Em uma das cenas mais perturbadoras do cinema, os lacaios de um tirano, todos responsáveis pela matança, imolam e violentam jovens religiosos, como se todos fossem mulheres. El Topo e a criança salvam todos, inclusive, uma mulher da qual ele se torna amante, deixando a criança para trás.
Toda a película parece ser fruto de um mundo onde a loucura e a razão andam lado a lado. Em certo ponto a mulher lhe pede uma prova do seu amor, sendo essa, a vitória sobre os 4 mestres do revólver, o cavaleiro negro parte para vencê-los em uma aventura onde a auto evolução é o verdadeiro prêmio e ao mesmo tempo maldição. Os personagens não têm gêneros definidos, como o primeiro dos mestres que tem voz feminina, assim como, uma pistoleira vestida de negro que diz saber o caminho para encontrar os mestres apresenta voz masculina.
El Topo, parece ser como em uma existência triplice, mostrando semelhanças do personagem que é, com o próprio diretor e ator que o interpreta Alejandro Jodorowsky, que é um praticante das artes arcanas, outras vezes se apresenta como uma divindade, e outras vezes como herói ou anti herói, já que sua trajetória é egoista.
O filme esteve por algum tempo oculto, distante do público tradicional, sendo sempre exibido nas sessões chamadas Midnight Movies, da qual tomo emprestado o nome da sessão, até que um dia de acordo com a lenda John Lennon e Yoko o assistiram em um cinema, eles gostaram tanto que entraram em contato com o Allen Klein, o até então agente do Beatles. Allen foi encorajado a bancar um outro projeto do diretor, porém mesmo com toda a ajuda, os filmes nunca chegaram ao grande público.

Fica aos interessados o filme, lembrando que (não por falta de vontade) os links que seguem não são meus e sim de outro blog, o Cinema Cultura que desde já agradeço:
Parte I - Parte II - Parte III - Parte IV

Boa Viagem, e vejo vocês em breve