31 de jul de 2011

Poesia delirante: É hora


É hora de partir
Mas acabo de chegar
É hora de dormir
Mas acabo de acordar
É hora de lembrar
Mas acabo de esquecer
É hora de brincar
Mas acabo de crescer
É hora de namorar
Mas acabo de terminar
É hora de trabalhar
Mas acabo de me formar
É hora de me encontrar
Mas acabo de me perder
É hora de me silenciar
Mas acabo de falar

É hora, é hora, é hora
Chega! Não é hora, não há hora!

(Guilherme Antônio R. Santos)

Estante: Uivo e outros poemas

Titulo: Uivo e outros poemas (Hwol and others poems).
Autor: Allen Ginsberg
Páginas: 203
Editora: L&PM
Tradução: Claudio Willer

Lançado no outono de 1956, o longo e profético Uivo, de Allen Ginsberg (1926-1997), foi apreendido pela policia de San Francisco, sob a acusação de se tratar de uma obra obscena. Depois de um tumultuado julgamento, semelhante ao que foi submetido a novela de William Burroughs, Naked Lunch, o poema foi liberado pela Suprema Corte americana e vendeu milhões de exemplares. Desde então se tornou uma fonte indispensável para todos aqueles que pretendem penetrar nas estações do inferno e iluminações de Allen Ginsberg e seus companheiros hipsters, pelas estradas amplas e becos sórdidos da America.
Junto com On the road, de Jack Kerouac, é Uivo que marca o inicio do movimento beat. Subitamente transformado numa celebridade na America, Ginsberg prosseguiu produzindo num mesmo ritmo frenetico até sua morte, em 1997. Estes poemas são exemplos brilhantes de poesia espontânea e ritmo jazzistico do poeta maior de sua geração.

24 de jul de 2011

VITROLA: BRAZILIAN GUITAR FUZZ BANANAS



Olá a todos, venho aqui hoje apresentar uma pérola de uma vertente musical, da qual considero a mais interessante, o então chamado 60' punk, ou som garageiro como queiram. Embora poucos saibam, o Brasil também teve suas representantes, algo além da simples e inocente Jovem Guarda com sua aura politicamente correta, e disso que iremos tratar nessa resenha de uma coletânea feita por um brasileiro radicado em New York chamado Joel Stones. O maluco tem uma loja de discos, a Tropicalia in Furs, especializada em música brasileira, portanto, ninguém melhor para garimpar as pérolas.
O disco duplo reúne 16 músicas do que há de mais sujo e pesado no rock psicodélico brasileiro em 60 e 70 (visto que aqui no Brasil a onda psicódelica demorou pra chegar, assim como demorou pra acabar), algumas totalmente desconhecidas até mesmo para fãs e garimpeiros de plantão. Possui um encarte contendo várias fotos e textos em português e inglês, além de um óculos 3d pra completar a viagem. A faixas segundo consta foram extraídas de promocionais e até mesmo de divulgação em rádio, e foram melhoradas da melhor maneira possível, porém, sem perder a qualidade.
O registro é bem interessante, e certas músicas têm histórias bem interessantes, que vão desde censura a métodos nada ortodoxos de criar sons. Aos interessados, vale totalmente a pena conseguir o disco:

A1. Célio Balona – Tema de Batman

A2. Loyce e Os Gnomos – Era uma nota de 50 cruzeiros
A3. The Youngsters – I Want To Be Your Man
A4. Serguei – Ourico

B1. Fábio – Lindo Sonho Delirante (L.S.D.)
B2. Tony e Som Colorido – O Carona
B3. 14 Bis – God Save The Queen
B4. Banda De 7 Léguas – Dia De Chuva

C1. Ton e Sérgio – Vou Sair do Cativeiro
C2. Ely – As Turbinas Estão Ligadas
C3. Os Falcões Reais – Ele Século XX
C4. Marisa Rossi – Cinturão de Fogo

D1. The Pops – Som Imaginário De Jimmi Hendrix
D2. Loyce E Os Gnomos – Que é Isso?
D3. Piry – Herói Moderno
D4. Mac Rybell –
The Lantern

23 de jul de 2011

Estante: Erva do diabo


Titulo: A erva do diabo - Os ensinamentos de Dom Juan (The Teachings of Don Juan)
Autor: Carlos Castaneda
Paginas: 295*
Editora: Nova Era*
Tradução: Luzia Machado da Costa


Em 1960, o estudante de antropologia Carlos Castaneda foi pegar um ônibus numa cidadezinha mexicana, na fronteira com os Estado Unidos, e encontrou um índio velho que se apresentou com o nome de Juan Matus. Castaneda fazia pesquisa de campo para seu mestrado na Universidade de Los Angeles e queria que o índio lhe desse informações sobre plantas medicinais. Esse encontro ganhou uma aura mítica nas últimas décadas. Pois dele surgiu, para todos, aquela que é provavelmente a doutrina esotérica mais densa e convincente do seculo XX. Dom Juan não ensinou a Castaneda sobre plantas medicinais. Ensinou-lhe simplesmente que o mundo que vemos só é do jeito que percebemos porque pensamos que ele é assim; e que se pararmos de pensar que o mundo é assim, ele deixará de ser assim, e que, portanto, o mundo que acreditamos ver é apenas uma descrição do mundo, apenas uma entre um numero infinito de outras igualmente possíveis e reais. Para anular o discípulo a visão habitual de que o mundo é só isso que pensamos que seja, o mestre usa uma variedade de meios, alguns até assustadores, como as experiencias provocadas por certas plantas alucinógenas. Mas tais recursos didáticos era provisórios e seriam superados pro técnicas mais sutis, descritas em livros posteriores de Castaneda. A erva do diabo, o primeiro desses livros - e um dos maiores best sellers, entre todos eles -, narra o inicio do longo aprendizado do antropólogo para se tornar feiticeiro. E já revela o mapa inteiro da misteriosa viagem que nos inicia no universo magico de Dom Juan.

* dados do meu exemplar, edição de comemoração do 30º aniversario, onde a partir da pagina 295 temos os apêndices com comentários do autor.

Onde encontrar:

Estante Virtual
Americanas.com

19 de jul de 2011

Jupiter Maçã


Flávio Basso, também conhecido como Júpiter Maçã ou Júpiter Apple, guitarrista, compositor, cineasta e cantor em carreira solo.

Seu primeiro disco solo, A Sétima Efervescência (1997), é calcado nos moldes de The Piper at the Gates of Dawn, do Pink Floyd, com psicodélia e experimentação (e por um leve momento, o final de "Sociedades Humanóides Fantásticas", uma bossa-nova psicodélica). As músicas desse disco são grandes referências do rock gaúcho. Contém algumas fixadas no imaginário underground, como "Um Lugar do Caralho", "Eu e Minha Ex" (com a parceria de Marcelo Birck nos arranjos) e "As Tortas e as Cucas".

Após experimentar um grande sucesso com o lançamento desse disco, torna-se Jupiter Apple, compõe em inglês, e decide misturar bossa-nova e vanguarda. Muitos fãs não o entenderam, preferindo a psicodelia mais acessível de A Sétima Efervescência. Essa mistura inusitada está muito bem feita no seu segundo disco, Plastic Soda (1999). Ele começa com uma canção de nove minutos, "A Lad and a Maid in the Bloom", que define o caráter inovador do disco.

Em 2002 é lançado Hisscivilazation, o disco mais ambicioso (e talvez incompreendido) de Jupiter Apple. Longas experimentações eletrônicas (destaque para "The Homeless and the Jet Boots Boy"), bossas elétricas e lounge, valsa, cítaras e moogs, condensados em momentos, ora de leveza, ora de paranóia. É seu disco mais hermético: se, para os que estavam acostumados com o rock and roll de Os Cascavelletes, A Sétima Efervescência já era algo inesperado (psicodelia em doses cavalares), a reação causada pelos dois discos da fase Apple são ainda mais dramáticas.

Em 2006 era esperado o lançamento do disco Uma Tarde na Fruteira. Nele, o "Apple" volta a ser "Maçã", mas continua explorando o lado brasileiro e experimental, com músicas já eternizadas no subconsciente do underground porto-alegrense, como "A Marchinha Psicótica de DR. Soup". Esse álbum pode ser considerado o mais acessível do autor. De certa forma, tudo que já foi composto pelo Júpiter está resumido neste disco: desde canções mod sessentistas, levezas jazz, baladas domingueiras à Bob Dylan com concretismos e timbres eletrônicos.

(Textos e imagens extraídos de wikipedia)

Considerado louco por uns, gênio por outros, eu acredito que ele é um misto entre os dois, seja Júpiter Maçã ou Apple, o cara é um cientista maluco da música, afinal genialidade e loucura sempre andaram de mãos dadas, deixo pra vocês 4 discos desse Ser Psicodélico, deliciem-se com essa salada musical.


A Sétima Efervescência

Um Lugar do Caralho – 4:58
As Tortas e as Cucas – 4:39
Querida Superhist x Mr. Frog – 5:40
Pictures and Paintings – 3:09
Eu e Minha Ex – 5:52
Walter Victor – 3:43
As Outras Que Me Querem – 2:43
Sociedades Humanóides Fantásticas – 6:42
O Novo Namorado – 3:12
Miss Lexotan 6mg Garota – 4:57
The Freaking Alice (Hippie Under Groove) – 5:09
Essência Interior – 7:00
Canção Para Dormir – 3:13
A Sétima Efervescência Intergaláctica – 2:38



Plastic Soda

A Lad & a Maid in the Bloom – 9:18
Collectors Inside Collections – 4:38
Welcome to the Shade – 4:48
Plastic Soda – 4:44
The True Love of the Spider – 3:30
Over the Universe – 5:13
Wasn't it? – 10:49
Bridges of Redemption Park – 3:46
Morning Intuition Man – 6:33
Head-Head – 2:51
Please Don't Disturb – 4:22
24 Hours Nude – 5:13
Samby Groove Theme – 2:29



Hisscivilization


The Homeless and the Jet Boots Boy – 11:32
Pyrus Malus et Fragaria Vesca – 6:04
Act Not Surprised – 4:47
...So You Leave the Hall – 6:15
And Old Road Aquarius and Pisces – 3:44
Overture and Something else – 8:21
The Cat and the Rabbit – 2:55
In the Presence of Zohg Zucchini and Finale – 4:38
The Futuristica Waltz – 3:39
Exactly – 6:30
Metropole – 6:44
Tropical Permanent Holidays – 4:10
Civilization – 8:15



Uma Tarde na fruteira


A Marchinha Psicótica de Dr. Soup – 4:39
Tema de Júpiter Maçã – 3:53
Base Primitiva Revisitada – 3:48
As Mesmas Coisas – 5:39
Little Raver – 2:58
Plataforma 6 – 4:22
Síndrome do Pânico – 4:26
Casa de Mamãe – 6:10
Beatle George – 3:37
Mademoiselle Marchand – 4:04
Carvão Sobre Tela – 4:07
Viola de Aço – 6:17
Um Sorvete com Vocês – 4:23
A Marchinha (Reprise) – 1:48

13 de jul de 2011

O Ser Psicodélico: Richard Alpert (Ram Dass)


Boa noite senhoras e senhores aqui estou novamente e agora para atualizar um quadro que anda um pouco de lado aqui no Psiconautas.
Bem o titulo ja diz por si só, com vocês mais um ser psicodélico, o iluminado guru Baba Ram Dass!
(texto extraído de Plantando Consciencia.org).


A história fantástica deste guru, nascido Richard Alpert em 6 de abril de 1931, e hoje conhecido como Ram Dass. Professor de Psicologia em Harvard nos anos 60-70, onde trabalhou também com os departamentos de Educação, Relações Sociais e de Serviços de Saúde, Richard foi contemporâneo e colaborador de Timothy Leary, Aldous Huxley e Ralph Metzner, entre outros notórios estudiosos da consciência à época.

Após as revelações e iluminações obtidas com o LSD nos anos 60, Alpert resolveu buscar seu caminho na sabedoria oriental, especificamente na India. Abastecido com pastilhas de LSD na mala, Alpert embarcou com uma curiosidade puramente científica. No entanto, após viver entre 1967 e 69 sob os auspícios do guru Neem Karoli Baba, mais conhecido como Maharajji sua vocação científica cedeu espaço para uma nova revelação. Ele regressou aos EUA como Ram Dass (“Servente de Deus”), preparado para iluminar a consciência de uma sociedade caótica e conturbada (e contribundo com inúmeras fundações, como a Hanuman Foundation).



Para mais informações acessem: http://www.plantandoconsciencia.org

11 de jul de 2011

Estante: Cartas do yage


Titulo: Cartas do Yage (The Yage letters)
Autores: William Burroughs & Allen Ginsberg
Paginas: 103
Editora: L&PM
Tradução:Bettina Becker

Em 1953, logo após a controversa morte acidental de sua mulher, William Burroughs se lançou em uma viagem à América do Sul. Mais especificamente ao Peru e à Colômbia, na busca pelo yage, ou ayahuasca, droga utilizada pelos índios da nascente do rio Amazonas à qual se atribuem poderes sensoriais e anestésicos.Link

Cartas do yage, um pouco do diário de viagem, um pouco de relato ficcionalizado, contém as cartas escritas ao amigo, amante e poeta Allen Ginsberg sobre a experiência. Traz também as cartas que este enviou a Burroughs sete anos mais tarde, ao fazer uma jornada similar. De cunho autobiográfico, assim como Almoço nu e Junky, as primeiras obras ficcionais de Burroughs, Cartas do yage embala o leitor numa verdadeira viagem, na companhia de dois dos maiores autores beat.

Onde encontrar:

Americanas.com

Estante Virtual

Submarino.com

Fluidos Fluorescentes

Salve, salve Navegantes!!!


Hoje venho deixar pra vocês, mais três desenhos feitos por nossa amiga Mariana Cabral, assim atualizando o quadro Psicodesenhando, deliciem-se!!!


Menino Místico



A árvore que dá a flor que dá o pólen



Fluidos Fluorescentes




10 de jul de 2011

Surf nas ondas do ar

Salve, salve navegantes!!!

Hoje as 20 hrs vai rolar o programa Rock Obscure nos seguintes links Lagrima Psicodélica, e Rádio W.U.L.P, como o próprio Obscure Man disse, é la "onde as pedras rolam!!!"
Vamos lá conferir, afinal nesse universo psicodélico todas as experiências são válidas.

Grande abraço
Tenham um domingo de paz, luz e muita psicodélia!!!

3 de jul de 2011

Jukebox volume 1

Salve navegantes!

Venho hoje trazer para vocês mais uma novidade do nosso Blog, o Jukebox, espaço destinado a coleções de musicas organizadas por nós, membros da equipe Psiconautas. Ta lançado então o Volume 1 da coleção Psiconautas. Deliciem-se com essa seleção de musicas internacionais, que vão de Pink Floyd (era Syd Barret) à 13° Floor Elevators, foram selecionadas 3 faixas de cada banda, permitindo assim conhecer um pouco da sonoridade de cada uma.

Grande abraço
Paz e Luz



Download

01 - Roller Coaster - 13° Floor Elevators
02 - Monkey Island - 13° Floor Elevators
03 - Don't Fall Down - 13° Floor Elevators
04 - Ocilations - Silver Apples
05 - I Have Known Love - Silver Apples
06 - A Pox On You - Silver Apples
07 - Share A Little Joke - Jefferson Airplane
08 - Two Heads - Jefferson Airplane
09 - White Rabbit - Jefferson Airplane
10 - Astronomy Domine - Pink Floyd
11 - Interstellar Overdrive - Pink Floyd
12 - Set the Controls for the Heart of the Sun - Pink Floyd
13 - Reflections - Catapilla
14 - Charing Cross - Catapilla
15 - Naked Death - Catapilla