30 de jun de 2011

COBERTURA DO FESTIVAL CAMPING & ROCK 2011

Olá a todos :)
Venho finalmente lhes resenhar sobre o tão comentado festival Camping & Rock, que ocorreu entre os dias 23 a 26 de junho em Itabirito.
O dia estava quente e ensolarado, sinal de que a coisa seria realmente boa (e quem sabe frio prometido não ia ser tão rigoroso...a esperança é a ultima que morre), as pessoas armavam suas barracas já munidas com suas bebidas a tiracolo, o clima de paz já se mostrava agradável, e o cheiro latente era o melhor. Pessoas vindas dos mais distantes lugares chegavam e já se enturmavam, tentando ali, com uma conversa ocasional iniciar uma amizade, ou talvez na troca de bebidas ou das inúmeras substâncias que por ali rolaram. A noite cai e o sono bateu como um soco, devido ao cansaço da viagem, portanto, perdi a apresentação da primeira banda, que pelo que me falaram tocava um som descente. A banda seguinte mandava um rock 70 de fazer inveja, é curioso ver que uma banda assim com tanta competência como o More Beer não tenha sido mais visada. Mas a melhor parte da noite (e por que não dizer de todo o evento?) ficou por conta da já veterana Patrulha do Espaço, da qual dispenso comentários para não parecer redundante, simplesmente o maravilhoso "rock regressivo", na mais pura essência!!! Logo a seguir, outra veterana do rock'n'roll brasileiro, Casa das Máquinas, mostrando que também podemos produzir coisas boas, com qualidade tão boa ou até superior ao mercado internacional. Para fechar a noite Zé Trindade, já bem conhecida pelo público e Aly na Skyna, com seus covers de Lynyrd Skynyrd (destaque para o baterista, que realmente manda muito bem).

Patrulha do Espaço e O Som Nosso de Cada Dia

O dia seguinte foi de descanso, até mesmo para os ouvidos, com várias bandas de rock progressivo, que realmente faz a cabeça da galera por aqueles lados. Pessoalmente destaco a apresentação de outra já veterana, a Violeta de Outono e do Alexandre Araújo Blues Band, que conta com o vocalista mais louco já visto em uma banda, o cara tocou cítara e outros instrumentos orientais dando um ar psicodélico ao evento e logo depois nos presenteou com músicas de Muddy Waters, Sonny Boy Williamson, John Lee Hooker, dentre outros mestres, desnecessário dizer que foi a melhor apresentação da noite.
O sábado já começou com um clima de despedida, a rádio que antes costumava tocar todos os dias mandando sons e sorteando brindes finalmente deu o ar da graça, comandada pela galera do Papa Ovo, que fez uma pergunta realmente surreal para presentear o ganhador com um brinde. A noite foi mais voltada às vertentes mais pesadas, e eu estava meio doente devido o frio e a quantidade de cerveja ingerida, portanto, passei o maior tempo dos shows na barraca, enrolado no cobertor com uma febre miserável. Para fechar com chave de ouro, durante a apresentação da tão esperada banda Morgana, que havia tocado nas primeiras edições do festival, o gerador de energia simplesmente explode, acabando com a noite e com o show da banda, restando ao pessoal endoidar por si próprios pela noite, das mais diversas maneiras, como que pra compensar.
O domingo já começou com menos pessoas, que já começavam a acordar e arrumar suas coisas ao som de Marcelo, que mandou músicas do Jethro Tull e do Marcus Van Langer, o holandês voador, com músicas realmente de despedida, dentre as quais algumas lentas do Beatles, Bob Dylan e de outros ídolos folk. Só nos restou arrumar as malas e partir, com a esperança de talvez voltar para o próximo, que promete ser muito bom, visto que será o comemorativo de 15 anos do festival.
Tudo é muito legal, porém alguns detalhes não podem escapar. O evento é bem planejado, e já são 14 anos de estrada do João e do Magela, os responsáveis, mas a estrutura pra receber a grande quantidade de pessoas precisa melhorar, os banheiros são poucos, e a comida, como já fora discutida na comunidade, é muito cara. Tudo bem, nada mais justo, pagar R$8,00 em um boa quantidade de comida, mas por esse preço espera-se alguma qualidade. O mesmo fica sendo para a cerveja que volta e meia estava quente...fica ai quem sabe a sugestão para melhora desse magnifico festival.

boa viagem a todos!


P.S - queria ter tirado mais fotos, porém, a minha câmera simplesmente descarregou com menos de 10 fotos, sabe-se deus lá porque! Fica a imagem do estado desse que vos fala durante a primeira tarde =)
O autor do post em estado deplorável

2 comentários:

  1. Orra, Casa das maquinas e Patrulha do espaço na msm noite?!?! Orgasmo musical velho uhauhauha
    Ow mto fino a cobertura, curti pra c....., foda vc ter ficado doente e n ter aproveitado mais, e quem sabe nao edição do 15° aniversario a cobertura fique por conta de nossa equipe inteira?! Esperamos que sim!!!
    Belo trabalho Sir! E eh isso ai, Psiconautas sempre em evolução!

    ResponderExcluir
  2. Yes Sir!!! Yes! Cara muito boa a resenha. O show da Violeta de Outono deve ter sido muito massa. E como vinicius disse ai em cima "quem sabe a cobertura do decimo quinto aniversário não fique por conta de toda nossa equipe?" Pois é se continuarmos a evolução concerteza esse é um projeto que deverá sair do papel!

    ResponderExcluir